17 de outubro de 2013

código




hoje vi este video no blog da Sílvia (que acompanho, mas com quem nunca falei) e fez-me lembrar as conversas que tenho tido com a minha filha mais velha.

a minha filha está no 9º ano e não sabe o que vai querer estudar nos próximos anos. não sei como a aconselhar, não quero influenciá-la mas queria muito ajudá-la. o que lhe digo sempre é que não interessa o que vai escolher, mas seja o que for terá de ser boa e faze-lo com gosto (na verdade, uma condição implica a outra). para ser boa tem de saber comunicar, falar uma língua que todos possam entender, seja aqui ou na China.

sublinho sempre a importância do Inglês e da Matemática, duas linguagens tão importantes e universais mas o que neste video se fala é igualmente (se não mais?) importante.

o ensino seria tão melhor se se adaptasse à realidade de hoje.

3 comentários:

  1. E é fascinante. Eu estudei programação e adorei.

    ResponderEliminar
  2. Também já tentei convencer a minha filha da importância de saber alguns rudimentos de programação. Como temos um programador em casa, estou sempre a ouvir dizer que não se trata de nada do outro mundo, mas para mim ainda é tudo um bocado misterioso. Como tenho algum treino de linguística não deixo de sentir que há muitos pontos de contacto com a linguagem verbal e que o "código" é uma espécie de linguagem verbal reduzida ao essencial. Fico fascinada com o lado conceptual de reduzir todos os conteúdos e ramificações de saber mas ainda não me atrevi a experimentar nada...

    ResponderEliminar
  3. Gosto muito da última frase, pois penso que o desânimo dos jovens pelos estudos está muito relacionado com a distância entre a escola e a realidade. Claro que faz muito mais sentido para eles navegarem na internet, sentem que aprendem muito mais e de acordo com os próprios interesses. Na realidade também se perdem porque a informação é tanta que perdem o "focus", a escola deveria usar e abusar da internet para ensinar a explorar , a pesquisar e sobretudo lançar desafios, pois sem dificuldades não há crescimento. Mas com uma mãe tão criativa e inovadora de certeza que ela saberá escolher o melhor percurso em busca da sua identidade.

    ResponderEliminar